Home Marketing e Comunicação A surpreendente verdade sobre o que nos motiva

A surpreendente verdade sobre o que nos motiva

Postado em 15/08/2011

Você motivado.Parece que estar sempre motivado é algo realmente difícil. Cada pessoa tem a sua motivação. Muita gente vai responder que é mesmo o dinheiro que as motiva. Será? Por Alexandre Bigaiski Muitos vendedores passam o dia inteiro de porta em porta tentando vender cartões de visita, folders, panfletos, flyers etc. e acabam não vendendo nada. Muitos designers passam dias produzindo um material gráfico bacana (e que realmente trará resultado) para o seu cliente e ele não aprova; o profissional vai ter de fazer tudo novamente. São coisas que acontecem diariamente e que, para muitas pessoas, é totalmente desmotivador.

Mas, se pelo menos eu ganhasse muito dinheiro com os meus trabalhos eu estaria bem mais motivado.
É o que você pode estar pensando agora. Mas, será que realmente o dinheiro é o nosso principal motivador? A maioria das pessoas que responderam a nossa enquete no Facebook diz que sim. Este vídeo (sensacional!) que encontramos mostra uma verdade surpreendente sobre o que realmente nos motiva. E adivinhe? Não é o dinheiro. Assista ao vídeo e depois diga pra gente se concorda. E então, não é surpreendente? Aproveite para compartilhar com os seus amigos. Abraços e bons negócios. Gráfica Atual Card | https://blog.atualcard.com.br

Tags:, , , , ,

Gostou dessa matéria? Então compartilha.

Deixe seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Mauro Lang disse:

    Belo post, como sempre!!
    Realmente o dinheiro motiva, mas não é o principal, pelo menos na minha visão.
    Comecei minha trajetória em 1998, quando ocupava um cargo de chefia numa empresa de porte médio, ganhava bem (cerca de R$2.000, na época), mas não fazia o que gostava.
    Abandonei a carreira em RH no auge, deixei o status de lado, abri mão da boa vida que tinha e comecei do zero o que eu sempre gostei de fazer: desenhar, criar, encantar.
    Lembro que bati cabeça por alguns meses até conseguir um bico numa pequena gráfica e, como eu recebia por trabalho, meu primeiro salário foi de R$ 70,00. Não pagava nem meu cigarro, mas estava feliz por estar fazendo o que escolhi e gostava de fazer.
    Os anos foram passando, trabalhei em algumas vertentes do design gráfico, sempre complementado pela arte-final, o que ajuda muito no processo todo, tive muitos alto e baixos (mais baixos do que altos) até que em 2009, pela falta de resultados e com a idade avançando, estava certo de abandonar o que gosto de fazer para trabalhar em algo em que eu não gostava para começar a ganhar dinheiro. Até então eu sempre trabalhei como empregado.
    Felizmente minha atitude não deu certo, ainda mais por que me mudei para Brasília e aqui não conhecia ninguém.
    Comecei a perceber o ritmo das coisas aqui e notei que eu poderia oferecer um diferencial em relação aos profissionais daqui, sem desmerecê-los: o conhecimento profundo, o bom atendimento e o compromisso com prazos.
    Aliei minha experiência em RH, para lidar com pessoas, a minha larga experiência em Design Gráfico, onde o conhecimento técnico fala alto, e decidi que investiria nisso.
    No início foi um teste e no primeiro mês tive a agradável surpresa de fazer muitos trabalhos. Pensei: se no teste foi positivo, é hora de colocar toda a minha experiência e focar nisso.
    Os resultados começaram a aparecer, a carteira de clientes aumentou (e muito) e foi possível planejar meu futuro profissional.
    Vale lembrar que aqui em Brasília a renda é elevada e não tenho problemas em apresentar os custos aos clientes, dando-me ao luxo de não atender os que não querem ou não podem pagar pelo meu trabalho.
    Fica mais fácil quando trabalhamos naquilo que temos profundo conhecimento, isso traz e transmite confiança, o risco de prejuízo praticamente desaparece.
    Felizmente e frequentemente, sem falsa modéstia, recebo elogios pelos trabalhos e isso não tem preço. O retorno financeiro acaba sendo só uma consequência.
    Um dica para os novatos é não querer abraçar o mundo para ganhar dinheiro. Primeiro veja qual a área em que você tem mais facilidade, aprofunde-se naquilo, seja curioso, procure saber como funciona todo o processo, desde a concepção até a fase de acabamento (estamos falando da área de impressão gráfica). Este conhecimento profundo lhe dá retaguarda e argumentos para negociar com o cliente, diferenciando-o dos “micreiros”.
    Os clientes gostam de se sentir seguros, gostam de tratar com Profissionais (com P maiúsculo). As consequências são muito positivas e as situações do dia-a-dia tornam-se a principal motivação. Em outras palavras: não “se venda” por mixaria, se o seu vizinho “paga para trabalhar” faça diferente: “ganhe para trabalhar”. No começo será difícil, mas lembre-se que chegar ao sucesso não é tarefa fácil, nem rápida.
    O dinheiro vem com o tempo, só depende de você!

    • Olá, Mauro.

      Comentário importantíssimo. É praticamente uma lição de vida para as pessoas que estão começando ou para aqueles com uma carreira estável.
      Gostamos muito de conhecer a sua história, pois é sensacional. Parabéns e continue assim.
      Obrigado pelo comentário, que complementou o nosso texto.

      Abraços e bons negócios.

  • José disse:

    Caramba, fiquei até emocionado!
    Hoje é o meu primeiro dia nesta nova empreitada em minha vida, e decidi dar mais uma olhada no produto que estou preste a vender pra relembrar algumas informações e então resolvi visitar o nosso blog, foi como uma predestinação. Tomara que tanto os conselhos do Alexandre e as dicas do Mauro norteiem o meu futuro!

    Obrigado!
    Fuii!

    • Olá, José.

      Estamos muito contentes por você estar aqui com a gente. O nosso blog tem o objetivo justamente de ajudar o pessoal que está começando e sempre dar dicas de como melhorar as vendas, dicas sobre design etc. Esperamos realmente que goste.

      Abraços e uma ótima semana.

  • José disse:

    Ps:.
    Não consegui ver o video, não estava disponivel!

    Att!
    José!

    • Olá, José.

      Realmente encontramos um pequeno problema em nosso blog. O vídeo sumiu! 🙂 Mas já colocamos ele novamente.

      Abraços e uma ótima semana.

  • MOTIVAÇÃO, se fosse bebida, receitaria uma dose diária após concluir mais um dia de trabalho. Sim, porque o ambiente que mais exige motivação de nossas vidas, esta em casa. Embora muito não concordem, eu argumento:

    – Em casa, a família sempre o aguarda para recebe-lo de braços abertos, não importa se você concluiu ou não seus objetivos;

    – Em casa, para quem tem filhos, é preciso lhes dar atenção, para que outro não os adote, e coloque fim aos sonhos de um pai ou mãe amorosos;

    – Em casa é onde tudo começa, é onde ficam os verdadeiros tesouros do homem, é por eles que enfrentamos a vida.

    Penso isso, porque emprego, empresas, ideias, e tudo o que for relacionado a profissão nos esqueceremos num curto espaço de tempo, porém aqueles que amamos, jamais serão esquecidos.

    Os três pilares que justificam a real motivação neste vídeo, nascem dentro de casa. Preste atenção nisso!

    • Olá, Paulo.

      Seus argumentos são ótimos. Obrigado pelo comentário.

      Abraços e bons negócios.

  • Eduardo disse:

    Uma grande lição de vida este vídeo sempre assisto ele quando estou meio desmotivado.


Assuntos Relacionados

O que você pode vender para uma lanchonete?

Quais são os produtos mais vendidos em Campanhas eleitorais?

Pare. Analise. Simplifique.