Home Sem categoria A Incrível Arte da Tipografia [Entrevista]

A Incrível Arte da Tipografia [Entrevista]

Postado em 15/09/2011

A Incrível Arte da Tipografia [Entrevista]

Quem já ouviu falar sobre o processo tipográfico antigo sabe o quão fascinante é esta profissão. Os profissionais desta área são muito mais do que tipógrafos, são praticamente artesãos.

Neste artigo, temos uma entrevista que fizemos com o nosso cliente Thiago Carvalho, que foi tipógrafo durante muito tempo e contou um pouco pra gente como funciona o processo da tipografia. Logo depois, assista a um vídeo que postamos que mostra passo a passo o processo.

Atual Card – Thiago, como foi a sua experiência como tipógrafo?

Thiago Carvalho – Tudo começou mais ou menos em 1997. Trabalhei na gráfica de um tio meu, a gráfica Carvalho em Pacaembu – SP por cerca de uns dois anos. Eu não tinha a noção de como seria importante na minha vida essa que, hoje, posso chamar de profissão com muito orgulho. Desde a construção da chapa que vai formar a arte, até calçar as letras para sair uma boa impressão, é tudo tão detalhado que o profissional não deveria ser chamado de tipógrafo, e sim de artesão. Cada serviço era uma arte diferente.

AC – Quais são as principais diferenças entre o processo antigo e o atual?

TC – Só de pensar que o computador substituiu as caixas de tipo, espaços, fios serrilhados, clichês de desenhos... Nossa! Na época da política, o que mais se fazia eram clichês de fotos para rodar santinhos, escrita colorida cor por cor. Dependendo do serviço demorava muito. Lembro que fazer mil impressões demorava mais ou menos 1 hora. Além disso, tinha que fazer vários ajustes para rodar os serviços, e mesmo assim o serviço não ficava 100%. Hoje em dia, com os computadores, é diferente. Já sai tudo colorido, com uma perfeição de dar inveja. Muita tecnologia de ponta como da Atual Card nos proporciona sempre o que há de melhor. Hoje, sobra mais tempo para outros trabalhos.

AC – Em qual cidade você atuou como profissional da área?

TC - Trabalhei na cidade de Pacaembu, São Paulo.

AC – Você fazia trabalhos como autônomo ou para uma empresa?

TC – Trabalhava para empresa particular. (Gráfica Carvalho).

AC – Conte para nós como era o processo tipográfico

TC – A Tipografia vai ficar para a história. Um procedimento todo artesanal, desde a montagem da chapa, o que já era um desafio. Todos os tipos tinham de estar bem presos para a impressão sair perfeita. Às vezes, tínhamos que parar a máquina para calçar os tipos que sumiam. Quase todas as vezes tínhamos que trocar o forro da máquina para a impressão ficar melhor. Os tipos eram calçados com adesivos em pequenas tiras do tamanho do corpo da letra.

Notas fiscais, cartilhas, tudo dava um trabalhão. Acho que se fosse hoje, eu pensaria bem antes de fazer tudo novamente. Apesar disso, foi uma época muito legal.

AC – Você continua atuando na área gráfica?

TC – Continuo trabalhando na mesma gráfica e acompanhei de perto as diferenças da época da tipografia e das máquinas off-set atuais.

AC – Que profissão você exerce atualmente?

TC – Sou designer gráfico e impressor digital. Temos pequenas máquinas digitais de impressão e o serviço aqui funciona mais como uma gráfica rápida.

AC – Você faz muitos trabalhos com a Atual Card? O que você acha destas novas tecnologias de impressão?

TC – Sim, faço alguns trabalhos com a Atual Card há mais ou menos três anos, tanto para os meus clientes como para a gráfica onde trabalho. Quando preciso, recorro à Atual Card que, além dos melhores serviços do ramo, tem um dos melhores preços. O pessoal está de parabéns. A tecnologia de impressão é “show de bola”. Por isso que a cada dia tem mais clientes, tanto pela qualidade como pela seriedade da empresa.

Legal, não é? Agora assista ao vídeo que explica o processo tipográfico. É muito bacana também.

Leia mais artigos sobre Tipografia.

Obrigado mais uma vez ao Thiago Carvalho por ter nos concedido esta entrevista tão interessante. Parabéns pela experiência!

Escreva nos comentários abaixo por que você gostaria de ter a experiência de trabalhar com a forma de impressão mais antiga. Se não gostaria, diga também o por que.

Abraços e bons negócios.

Gráfica Atual Card | https://blog.atualcard.com.br

Contatos do Thiago Carvalho

Facebook: Thiago Carvalho Twitter: @_thiagopacaembu MSN: carvalhosouzadepacaembu@hotmail.com

Tags:, , , , ,

Gostou dessa matéria? Então compartilha.

Deixe seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Paulo Azevedo disse:

    Muito bom este material! Quem é dos tempos em que tínhamos que entender este processo todo de tipografia, em que tínhamos que desenhar as fontes em uma mesa daquelas enormes com régua paralela, em que havia um estudo mais profundo e trabalhoso na criação de logotipos sabe o que escrevo… Vejo que atualmente muita gente faz um curso básico de informática e diz-se designer sem qualquer conhecimento de causa. O verdadeiro designer gráfico deve ter conhecimento de todo o processo, conhecimento estético, conhecimento da história da arte e do design, conhecimento em informática, além, é claro, da capacidade de criação. Tudo isso forma nossa base e esta base é o nosso processo de criação que será demonstrado através de nossos instrumentos de trabalho. Quem é da área e nunca experimentou trabalhar em uma máquina tipográfica, experimente, será muito proveitoso. Um abraço a todos.

  • Orlando Reali disse:

    Muito oportuno o assunto do Thiago e Sr. Paulo Azevedo sobre o processo gráfico em questão da tipografia, por incrível que parece até hoje sou tipógrafo, tenho em minha gráfica toda tipografia e trabalho com cartões de visita e panfletos, envelopes e etc., e sobrevivo da minha arte, da tipografia em máquinas manuais, vinco, guilhotina semi-automática, heidelberg de leque tipográfica, fios, quadrados, entrelinhas, azzurrés, sou tipógrafo a 30 anos, impressor, montador.
    Trabalho no computador em programas como Coreldraw, faço arte, envio trabalhos para a Atual Card, desde 1999, fui eu acho uns dos primeiros franqueador da atual, pena que perdi o monopólio, hoje trabalho também com as off-set. estamos lutando desde Gutemberg, a pai da tipografia.
    Deixo este depoimento acho valioso para quem começou lá e gosta da arte.
    Mas tem de gostar se for só para ganhar dinheiro está cheio de pessoas por aí sem conhecimento de causa.
    Pode se quiser passar este depoimento para outros. Adoro a tipografia por incrível que pareça, neste mundo tecnológico, ainda gosto adquela impressão trabalhosa. Vocês da ATUAL CARD funcionários sabem o que é TIPOGRAFIA? Abraços a todos!

    • Olá, Orlando.

      É muito bacana que você tenha tido esta experiência. E realmente a tipografia é algo fascinante.
      Nós, aqui, somos da parte de comunicação e não trabalhamos diretamente com estas máquinas. Mas é algo que desperta bastante atenção.

      Obrigado pelo seu comentário. Abraços e bons negócios.

  • Gilmar disse:

    Super interessante.

    Já trabalhei “indiretamente” com estas máquinas nos anos 80/90. Trabalhava no setor de Qualidade e Processamentos, e via os colegas trabalhando em máquinas parecidas, principalmente para jornais e revistas.

    Era simplesmente inacreditável o que eu via tais profissionais fazerem.

    Contava para conhecidos e ninguém conseguia ter a mínima “noção” do trabalho que dava preparar jornais, livros e revistas.

    – Hoje, com os Computadores as coisas são fáceis demais. – Parabéns pelo artigo. Uma Viagem no tempo!

    • Olá, Gilmar.

      Agradecemos pelo seu ótimo comentário. Realmente, o trabalho de tipografia é fascinante.

      Abraços e bons negócios.

  • Edival disse:

    Bem, trabalhei muito com fundição e ficava encantado quando via em clichê, uma máquina funcionando ficava um bom tempo observando.

  • […] eram encaixadas em equipamentos para que se pudesse fazer uma impressão. Para saber mais, leia “A Incrível Arte da Tipografia”. Neste artigo, tem uma entrevista com um profissional da área e um vídeo que apresenta como […]

  • Silvio Rogerio Valduga disse:

    Boa tarde, muito boa a referencia sobre tipografia, sou tipografo a 30 anos, ainda exerço a profissão, trabalho na Universidade Estadual de Londrina e temos uma tipografia em funcionamento, recentemente foi adquirido mais 8 fontes de tipos novos. Aqui na UEL tem o curso de desig gráfico e os alunos ficam impressionados com a qualidade dos impressos tipograficos realizados, muitos não acreditam que a grafica possui uma tipografia em funcionamento

    • Olá Silvio,
      É bom saber que esse tipo de trabalho ainda vive.
      Obrigada por sua participação em nosso blog.
      Abços
      Equipe Atual Card

  • […] eram encaixadas em equipamentos para que se pudesse fazer uma impressão. Para saber mais, leia “A Incrível Arte da Tipografia”. Neste artigo, tem uma entrevista com um profissional da área e um vídeo que apresenta como […]


Assuntos Relacionados

Impressão de banner e lona com qualidade e preço baixo é na Atual Card

Espaço negativo

Você ainda tem medo de falhar?